quinta-feira, 12 de maio de 2022

Retalhos coloridos


“Sou feita de retalhos. Pedacinhos coloridos de cada vida que passa pela minha e que vou costurando na alma. Nem sempre bonitos, nem sempre felizes, mas me acrescentam e me fazem ser que eu sou.”

As palavras não são da minha autoria. Como fiquei em dúvida, não mencionei o seu autor.


sábado, 26 de março de 2022

Janela aberta sobre a Ria...



Tenho tanto sentimento
Que é frequente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.

Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

quarta-feira, 29 de dezembro de 2021

Sejam Felizes

Que pouco seja sempre o suficiente.
Que muito seja: Amor, Saúde e Alegria.
O resto, seja feito de paz em cada dia.

FELIZ ANO NOVO
 

 

quinta-feira, 9 de dezembro de 2021

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

Se estou só, quero não estar,

"Se não estou, quero estar só,

Enfim, quero sempre estar

Da maneira que não estou.

Ser feliz é ser aquele.

E aquele não é feliz,

Porque pensa dentro dele

E não dentro do que eu quis.

A gente faz o que quer

Daquilo que não é nada,

Mas falha se o não fizer,

Fica perdido na estrada."

Fernando Pessoa


terça-feira, 16 de novembro de 2021

segunda-feira, 15 de novembro de 2021

sexta-feira, 12 de novembro de 2021

Recolher


O frio aconselha a recolher. Prevalece a nostalgia desta hora que finda. Restam nuances no horizonte em jeito de esperança de amanhecer.

terça-feira, 9 de novembro de 2021

Outono 2021


 Pinturas em modo Outonal

quinta-feira, 8 de julho de 2021

quarta-feira, 15 de maio de 2019

quarta-feira, 8 de maio de 2019

segunda-feira, 1 de abril de 2019

Ponto de passagem

Caminheiros percorrem estes passadiços de mochila sobre as costas. Estrangeiros. São muitos. Seguem animadamente em grupo. Outros totalmente solitários. Talvez caminheiros rumo a Santiago de Compostela. Muitos levam uma concha presa à mochila.
Confesso, fiquei curiosa.

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Minimalismo visual

gosto de ver pouco de cada vez, ainda que tenha muito para ver.


terça-feira, 6 de março de 2018

De lá...para cá!


 
ao desfazer da curva- a passagem

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Ainda vamos em Fevereiro e a luz é de Primavera

Por cá o sol brilha sobre fundo azul

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Bonecas de ontem...

Viagem presente. Revisitar passado aos molhos.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

terça-feira, 16 de outubro de 2012

O mundo nas mãos...

"O Mundo está nas mãos daqueles

que tem coragem de sonhar,

e correr o risco

de Viver seus

SONHOS"
 
Paulo Coelho

segunda-feira, 26 de março de 2012

domingo, 18 de março de 2012

sábado, 10 de dezembro de 2011

Pintar o céu...


Quero voar como a chuva pelo ar.
Pintar o céu com a tinta do meu olhar-te.
Ver-te como a cidade vê o tanto da montanha.
Arder em ti como o fogo se agita no sol.
Vestir-me de vento e passear-me pela tua pele.
Acender a noite com o luar
das minhas mãos pelo mar do teu corpo.
Ser o núcleo da terra por onde teus pés caminham.
Calar nossas vozes num beijo perfeito.
Fazer dos instantes eternidades afrodisíacas.
Amar-te despreocupadamente.
Descontroladamente pelos terraços do universo.
Demolir o tempo com culpa da nossa culpa de amar.
Respirar o sonho.
Desnudar as flores
com metamorfoses de palavras.
Ditas lábios nos lábios em silêncio por amor.

Arvorar ilhas de estrelas
como fogueiras perfumadas de pináculos
onde nos edificamos a dois num só fragor louco.
Sentir que a vida se completa em nós... Sem nós.


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Frutos de Outono


"Boca de romã perfeita
Quando a abres p'ra comer.
Que feitiço é que me espreita
Quando ris só de me ver?"
Fernando Pessoa

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Metade de mim...

...o que se vê - são reflexos

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Sempre que o teu barco...

Porque sou o cavaleiro andante
Que mora no teu livro de aventuras
Podes vir chorar no meu peito
As mágoas e as desventuras

Sempre que o vento te ralhe
E a chuva de Maio te molhe
Sempre que o teu barco encalhe
E a vida passe e não te olhe

Porque sou o cavaleiro andante
Que o teu velho medo inventou
Podes vir chorar no meu peito
Pois sabes sempre onde estou

Sempre que a rádio diga
Que a América roubou a lua
Ou que um louco te persiga
E te chame nomes na rua

Porque sou o que chega e conta
Mentiras que te fazem feliz
E tu vibras com histórias
De viagens que eu nunca fiz

Podes vir chorar no meu peito
Longe de tudo o que é mau
Que eu vou estar sempre ao teu lado
No meu cavalo de pau


Rui Veloso

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Voam? Pois voam!


Alheias e nossas as palavras voam.
Bando de borboletas multicores, as palavras voam
Bando azul de andorinhas, bando de gaivotas brancas,
as palavras voam.
Voam as palavras como águias imensas.
Como escuros morcegos, como negros abutres,
as palavras voam.
Oh! alto e baixo em círculos e retas acima de nós,
em redor de nós as palavras voam.
E às vezes pousam.

Cecília Meireles

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Contemplo...

e parto...

domingo, 22 de maio de 2011

É preciso...


"Toda pedra do caminho
Você deve retirar
Numa flor que tem espinhos
Você pode se arranhar

Se o bem e o mal existem
Você pode escolher
É preciso saber viver..."

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Eu quero!


"Se as coisas são inatingíveis... ora!
não é motivo para não quere-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
a mágica presença das estrelas!"
Mário Quintana

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Dou-te um beijo...

Com sabor a sal das ondas do mar

Pr´a partida
Pr´o regresso

Guardado na palma da minha mão


sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Não é Adélia, não é Rosa, é Camélia a flor.



"Cuidas tu que a rosa chora,
Que é tamanha a sua dor,
Quando, já passada a aurora,
O Sol, ardente de amor,
Com seus beijos a devora?
- Feche virgíneo pudor
O que inda é botão agora
E amanhã há-de ser flor;
Mas ela é rosa nesta hora,
Rosa no aroma e na cor."

Almeida Garrett, in 'Folhas Caídas'

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Ver só a parte...

"Deixem-me a liberdade
de não olhar mais
o que não quero olhar.
De ver só parte
da luz que me envolve.
De me recolher
na concha do início
no ninho da inocência
na serena ignorância
das sombras projectadas
sobre o correr da vida./..."
Lique

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Recebamos..

"Paremos de indagar o que o futuro nos reserva e
 recebamos como um presente
o que quer que nos traga o dia de hoje."
(Heráclito)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Chamem-lhe...


 flordeliz
"Porque é que este sonho absurdo
a que chamam realidade
não me obedece como os outros
que trago na cabeça?

Eis a grande raiva!
Misturem-na com rosas
e chamem-lhe vida."
José Gomes Ferreira

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Passeios no rio

Pescadores - rioTâmega
Ancorado - rio Tâmega
Descansar à sombra da árvore - rio Tâmega

terça-feira, 9 de novembro de 2010

São bandos de pardais...

O que sobeja de uns...

"Ly" tenho medo, ficas comigo?

"Fofy" estou ao pé de ti! 
Fofy -  Ficamos os dois? Para sempre?
Ly - Claro que sim!
Fofy - Não te esqueces de mim, não me abandonas?
Ly - Fico sempre aqui para te proteger!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Observemos então...

Pensamos demasiadamente
Sentimos muito pouco
Necessitamos mais de humildade
Que de máquinas.
Mais de bondade e ternura
Que de inteligência.
Sem isso,
A vida se tornará violenta e
Tudo se perderá.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Eu gosto da praia...

Eu gosto da praia
a hora das gaivotas
Quando a maré desce
E tudo fica mais calmo
Quando o sol dourado
despenteia o teu cabelo
e um so sorriso teu
desfaz o meu pesadelo
Tens os pés na areia
e um olhar sobre as ondas
por muito que os estendas
não quero que te escondas
Sabes o mar é bruto
mas pode ajudar
a ter outra vez
vontade de gostar
ou longe desfaz-se
a linha do orizonte
e tu já voltas-te
desse sitio onde foste
porteje os teus ombros
com o meu braço esquecido

e um so sorriso teu
eu já não estou perdido

eu gosto da praia das gaivotas
a hora das gaivotas
eu gosto da praia
eu gosto de ti
Musica: TIM (xutos)

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

"O caminho faz-se caminhando"


"Caminhante, as tuas pegadas
São o caminho e nada mais;
Caminhante não há caminho,
O caminho faz-se ao andar.

Ao andar faz-se o caminho
E ao olhar-se para atrás,
Vê-se a senda que jamais,
Se há-de voltar a pisar.
Caminhante não há caminho,
Somente sulcos no mar."